Mindfulness na Parentalidade

Ao longo destes últimos anos, tenho realizado alguma formação no âmbito da parentalidade consciente, Mindfulness na parentalidade e coaching parental. As oportunidades de aprendizagem têm sido maravilhosas. Nem sempre, ser pai ou mãe é tarefa fácil, mas é uma tarefa maravilhosa, sim maravilhosa!

Parentalidade Consciente tem por base os princípios de Mindfulness: a atenção plena no momento presente, de forma não crítica e sem julgamentos. Esta atitude  traz uma nova perspetiva à nossa vida e à parentalidade. Assim, praticar parentalidade consciente é estar atento, e presente perante os nossos filhos e perante tudo o que é ativado dentro de nós durante esse processo. De uma das palestras da Mia, Mikaela  Övén, recordo o seguinte: “a parentalidade é o melhor curso de desenvolvimento pessoal do mundo” e “a nossa Parentalidade Consciente é uma parentalidade com ciência e está, entre outras coisas, baseada nas descobertas da neurociência, neurobiologia, Mindfulness e psicologia…”.

Assim, Mindfulness na Parentalidade foca-se na atenção plena em cada momento da experiência parental e incorpora uma atitude de aceitação, de não julgamento e compaixão em relação a si mesmo e aos filhos. Envolve uma consciência atenta no momento presente, das próprias emoções e das necessidades dos filhos, permitindo que os pais respondam de forma consciente e adequada, em vez de reagirem automaticamente a situações mais desafiadoras.

Os princípios-chave da Parentalidade Mindfulness são:

Atenção plena: Estar plenamente presente no momento presente com os filhos, sem julgamentos ou distrações, de forma, a cultivar uma consciência clara e aberta.

Aceitação: Aceitar os filhos exatamente como eles são, com as suas emoções, comportamentos e personalidades únicas, sem tentar mudá-los ou controlá-los.

Compaixão: Cultivar uma atitude compassiva em relação a si mesmo como pai/mãe e em relação aos filhos, reconhecendo as suas necessidades emocionais e físicas.

Regulação emocional: Desenvolver habilidades para regular as próprias emoções e ajudar os filhos a desenvolverem as suas próprias habilidades de autorregulação emocional.

Presença consciente: Estar presente no momento presente com os filhos, sem julgamentos ou distrações, ouvindo-os com empatia e respondendo de forma consciente.

Autocuidado: Cuidar de si mesmo como pai/mãe, reconhecendo a importância do autocuidado para estar presente e disponível para os filhos.

Partilhar

Últimos Artigos
O professor inclusivo
Deficiência Intelectual e transição pós-escolar
A Educação Especial e a Escola Atual